quinta-feira, 14 de abril de 2011

Realidade Fatual (Desarmamento)


Texto de Consciência Política

Este artigo é curto e tenta mostrar de forma imparcial a realidade de um provável desarmamento em nosso país, o que ganharemos e/ou perderemos com isso:


O desarmamento proposto consiste em proibir o porte e a venda de armas de fogo para a população civil. Isso já foi feito antes em outros países e debatido NESTE país e os resultados não foram como se esperava. O Referendo de 2005 que fazia a pergunta "O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?" recebeu um NÃO expressivo (63%) e deu por encerrada a discussão do assunto. Por que então querem debater isso de novo? Na verdade, existem alguns pontos importantes e interessantes a ressaltar, pontos (fatos) que muitos nem sequer tem conhecimento, mas que podem contribuir significativamente para SUA opinião.

Primeiro, a nação brasileira é MUITO diferente do que há na Suíça, EUA, Espanha, Alemanha, e o além-mar todo. Esqueça a mania de comparação. Isso compreende também o uso de armas de fogo, a forma como são armazenadas, seus fins e danos.

 A principal causa de morte do jovem brasileiro é por arma de fogo, em assaltos, brigas e discussões. É claro que a maioria das “armas” que matam sem razão (não sendo legítima defesa) são ILEGAIS, porém a maioria das armas ILEGAIS que matam já foram LEGAIS!!! Ou seja, o mercado legal de armas alimenta sim o mercado ilegal e principalmente a área que mais mata: O pequeno (GRANDE) criminoso.

Definindo o pequeno criminoso: ele costuma ser pobre; não muito experiente e, às vezes, utiliza tal meio para "sobrevivência" (ou não).  Muitas vezes são drogados e atuam sob efeito da droga ou "fissura" (abstinência). Tal criminoso não tem dinheiro ou poder para adquirir uma arma importada ilegalmente pelas rotas de tráfico, ele só conseguirá roubar uma arma legal e então raspar a identificação ou roubar (ou comprar) uma arma já "raspada" (significando que já foi legal um dia).

            E as armas totalmente ilegais (que nunca foram vendidas legalmente) vêm contrabandeadas por rotas de tráfico de armas (Leia: http://bit.ly/hTkUtY), mas isso é a minoria (80% das armas ilegais são de fabricação nacional). Porém tal minoria alimenta as organizações criminosas, com armas de alto calibre das quais é proibida a fabricação no Brasil. Mas, como foi dito antes, as armas de baixo calibre, fabricação nacional e procedência legal (roubadas) são as responsáveis pelo maior número de mortes.

O desarmamento como medida isolada (apenas proibir a posse) é questionável de qualquer maneira. Procura-se por um ato conjunto. E ficam perguntas sem resposta claras.  Onde o estatuto do desarmamento aumentar as penas para o porte ilegal, irá aumentar a fiscalização? A fiscalização se tornará mais eficaz e se tornará mais fácil? Aliás, cadê a fiscalização?

Editado e Auxiliado por @MeCaesar (César Augusto)

Este texto é para a promoção de um debate a partir de fatos, caso se discorde de alguma informação, previsão ou argumentação por favor comente e contraponha.

1 comentários:

  • 15 de abril de 2011 02:01
    Anônimo says:

    Pois então.Vamos lá:

    1)Votei contra o desarmamento em 2005,como a maioria da população.Naquele ano eu não tinha a conciência política que tenho hoje.(era apenas um garoto de escola pública - pouca politizada ,hoje eu sou estudante de universidade ,fazendo um curso nas áreias socias).

    2)O que mais vale,na minha opinião, para temas como esses é debater de verdade nas bases e não fazer aquele "debate" que foi feito em 2005,pela televisão na base do sensacionalsimo e da propaganda.Acho que podemos sim fazer uma consulta popular ,mais acho que o mais que vale é o que antecedem antes dessa consulta que é o debate nos locais de atuação do trabalhador(sindicatos,associções de bairro,ongs e etc).

    3)Também não gosto de fazer as coisas na base da emoção.Respeito e reiteiro que emoção foi fundamental para contruir um sociedade melhor.Se não fosse na base da emoção não tinhamos conquistados metade de nossos direitos.Porém ainda acho que temas como esse,na situação que nós vivemos, temos que pautar nossas escolhas pela via racional.

    4)Desarmar ,lembro que isso significa que vai tirar armas dos trabalhadores e das pessoas mais pobres e não do estado repressor e também das empresas de (des)segurança,crime organizado e etc etc..

    5)E se o problema é as armas legais ou ilegais ,principalmente nas classes baixas ,acho que o que temos que fazer é investimento em outras coisas ,inclusive ao longo prazo. Por que se não previnirmos o mal jamais conseguiremos combater este,no caso aqui a violência, na base da repressão e e das medidas senacionalistas e emotivas.

    Por isso minha reposta é não ao desarmanento pelos motivos acima.

    Acho que o "sim ou não" não chega no problema e para chegar a este, prescisamos encarar o problema como é que ele está na pratica.

    delete

Postar um comentário

 

Razão & Cultura Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger