quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Seja a exceção da regra



Hoje faz dois anos e três meses que estou desempregado. Nesse período fiz cursos onlines, estudei dois idiomas, me formei na faculdade, leio três a cinco livros por semana e mudei meu currículo três vezes. Tudo seguindo as regras dadas pelos "coachings" do Recursos Humanos. E qual foi o resultado? Continuo desempregado.

Como muitos que estão na procura de uma recolocação, eu tenho contas a pagar, um filho para criar e tenho que me alimentar. Talvez hoje se não fosse a ajuda da família, estaria numa situação bem crítica na vida, ou seja, vivo o pior momento da minha vida, onde meu filho mora em outro estado, não o vejo há um ano e meio, não posso ajuda-lo financeiramente e muito menos poder está perto e acompanhar a sua fase de crescimento, onde ele cresce sem a presença de um pai ausente por força maior. Isso tudo é um motivo para está em depressão, algo que diariamente tento enfrentar para não entrar de vez. Imagina essa minha história contadas por outros tantos que devido ao desemprego e falta de oportunidade perderam suas casas, suas vidas ou foram para o caminho errado.

Mas voltando ao início do artigo. Quando perdi o emprego, acreditei que isso seria algo passageiro e que voltaria em breve ao mercado de trabalho, principalmente na área de educação onde estava me formando em história. Entreguei 50 a 100 currículos por dia, me cadastrei em diversos sites de empregos, entrei em grupos do Facebook, segui pessoas ligados ao Recursos Humanos no LinkedIn. Toda regra seguida pelos "especialistas" e nenhum resultado. Essas regras não são para todos, vale para aqueles que tem uma renda para investir nisso e tempo para pesquisar e ter o currículo de agrado para aqueles querem ver o que ensinam, fora isso, se não faz parte desse ciclo, com certeza é excluído do sistema.

Para nós que estamos desempregados, há regras, talvez parecidas com aqueles que tentam uma vaga no mestrado. Hoje o currículo precisa seguir regras de formatação, palavras chaves e um bom resumo, assim talvez isso chama a atenção dos recrutadores. sendo apenas o básico, já que por baixo disso, vem o preconceito. Anos atrás, o Jornal Extra publicou uma reportagem que empresas do Centro e da Zona Sul do Rio de Janeiro não estariam mais contratando moradores da Zona Oeste e da Baixada Fluminense por causa do transporte, do trânsito e da violência. Isso prova que o local que você mora é mais importante que a sua experiência. Basta ver hoje os anúncios com pré-requisito como morar próximo uma passagem ou modal, sendo que mais de 80% das vagas são nesses lugares, como fácil acesso ao Metrô, que não tem nos locais de maior população. Além disso, hoje as empresas e recrutadores entram nas suas redes sociais e dependendo do que podem encontrar, descartam seu currículo automaticamente. Sem falar do preconceito em questão de raça, gênero e ideologia que também te elimina por informações básicas, exemplo o meu currículo que tem formação em história e no momento polarizado do país, pode significar que eu seja de esquerda. No livro como conquistar e manter emprego do Vladimir Crivelini, o autor falou que quase deixou de contratar um funcionário por ser gordo por achar que não exerceria tal função, mas desistiu da ideia, contratou e ele fez um bom serviço e foi promovido em seis meses. Por pré julgamento, ele nem seria contratado e não teríamos essa história. Quantas pessoas não tiveram essa oportunidade por isso?

Muitas pessoas falam que isso é apenas uma fase, que eu precise acreditar e persistir para chegar ao sucesso como conseguir um novo emprego. Talvez eu vivo o meu momento em questão de conhecimento, mas se depender dessas pessoas, não vou chegar ao êxito e vou acabar vivendo na informalidade e no subemprego. O que me resta é catar latas, vender balas na rua ou escrever livros e artigos para gerar uma renda. Acreditar que estarei empregado novamente virou quase uma ilusão da minha vida, pois pelo visto, sou uma exceção dessa regra imposta e garanto que tenha milhões de pessoas parecidas com a minha história, onde por mais que busque, talvez não tenha oportunidade por pré julgamento ou por não ter uma oportunidade de buscar o que eles desejam. Então amigos, vamos ser a exceção e buscar o nosso com as nossas pernas e sem dependência daqueles que nos avaliam ou fingem avaliar se está apto ou não.

sábado, 30 de setembro de 2017

Esta na hora de parar de procurar emprego

Quando eu fui demitido em no inicio de agosto de 2015, tinha um filho recém nascido e pensei que seria apenas uma fase e que em breve estaria novamente empregado e talvez até na área que estava prestes a me formar (Licenciatura em História). Passou mais de dois anos e continuo nas estatísticas do desemprego. Consegui me formar, mas infelizmente meu filho foi morar em outro estado, no outro extremo do país.

Nesse período em que estou desempregado, talvez tenha feito de tudo. Fiz cursos online, estudei idiomas, li vários livros sobre dicas de currículos, como se comportar em uma entrevista, fazer networking, ter seu perfil no linkedin acessível e entre outras coisas para me recolocar, mas nada disso aconteceu. Não sou chamado para uma entrevista há mais ou menos um ano e meio (não vou contar no que fui chamado há dois meses e o recrutador nem sequer apareceu), quando fui chamado era para cargos inferiores a minha formação, onde não passava nem na fase da apresentação. Meu currículo chamou atenção apenas daquele que não fazem analise como empresas de vendas externas, marketing multinível e corretores de imóveis, ou seja, cargos sem carteira assinada, onde tenho que ganhar através de comissões.

Sobre a minha formação, até é complicado de opinar. Sem emprego, é complicado de me especializar, como fazer mestrado ou até uma pós-graduação. As pessoas que formaram comigo, já tinham seus empregos e seguiram em suas áreas, outros não continuaram e conseguiram empregos em outras áreas. Os que continuaram na área e acreditem, só me procuram para beber. Com a crise do Rio de Janeiro (Cidade e Estado), não abre concursos, escolas particulares fecharam as portas e quando tem vaga, pede experiência. Como um recém-formado vai conseguir lecionar? Nem mesmo os famosos cursinhos ou até monitoria, eu tentei e também não consegui vagas, muito menos uma entrevista.
Na área em que trabalhei, a administrativa, consegue se pior que a área da educação. Em sites de empregos, tenho uma concorrência de mais de 500 pessoas. Muitas dessas empresas nem olha para quem mora longe (eu moro na Zona Oeste do Rio de Janeiro), pois pensam e passagem, violência local e problemas no transporte público para pelo menos te chamar numa entrevista, onde nunca consegui uma entrevista sequer, ou melhor, quando mandam uma mensagem, fala que meu currículo não está no perfil (leio a descrição da vaga e se tem os requisitos, eu envio, mesmo assim, mandam).


Essas coisas infelizmente te desmotivam, você não consegue ver uma luz no fim do túnel e desacredita que voltará a trabalhar com carteira assinada, seja ela da sua formação ou da sua experiência. Talvez tenha feito de tudo para me recolocar, mas infelizmente não tive sucesso. Então começo que está na hora de esquecer que eu voltarei a trabalhar e começo em alternativas. Não posso ir para os aplicativos, já que não tenho habilitação. Já pensei em abrir uma consultoria de vistos consulares, mas não tenho dinheiro para fazer toda a documentação.  Aulas particulares? Até pode ser, mas quem vai querer apoio em história. Uber Eats? Outra boa alternativa, mas preciso consertar a bicicleta, mesmo assim, onde moro, não tem ninguém cadastrado e o que me resta é escrever, pois talvez seja a única forma que eu sei fazer, por isso que vou parar de procurar emprego, pelo menos com esse desejo de que vou conseguir pelo menos uma entrevista. Vou investir em colunas, artigos e livros de romance e não-ficção, já que nos tempos de hoje, é fácil publicar, mesmo sem ter nada em investir. Claro que terei uma pequena dificuldade de encontrar pessoas para revisar e editar meus textos, mas creio que seja a única e talvez a ultima te tentar me levantar. Caso não consiga também, vou vender bala no trem e catar latinhas na rua. Essa é a solução.

*José Nunes (@JosecleiNunes) é colunista do site Esportes Mais e Co-Fundador da União Brasileira dos Deístas. Escritor, graduado em história. Ama futebol e um bom papo de botequim.

terça-feira, 11 de abril de 2017

O fracasso do Bangu na “Operação Loco Abreu”

Loco Abreu disputou dez partidas pelo Bangu, marcando apenas três gols, além desperdiçar duas das três cobranças de pênaltis que teve a oportunidade ao longo da competição
Foto: Bangu/Divulgação
Texto publicado no site Esportes Mais: Clique Aqui

No fim de novembro, o Bangu anunciou como reforço para o Campeonato Carioca o atacante uruguaio Loco Abreu, que jogou no Brasil pelo Grêmio, Figueirense e Botafogo, onde é ídolo, além de jogar duas copas pela sua seleção. Com 40 anos, Loco foi uma das táticas de colocar o alvirrubro de volta ao cenário nacional, com isso, o clube lançou no mercado uma proposta de ocupação do espaço nobre de sua camisa para o essa temporada, já que também jogará o Campeonato Brasileiro da Série D.

Com o Loco, o departamento de marketing do time bolou várias ideias que para o pensamento deles daria lucro a instituição.  As ideias seria vender o espaço por R$ 400 mil pela temporada, oferecendo outras propriedades, dando visibilidade ao patrocinador como placas no estádio de Moça Bonita e no Centro de Treinamento do time da zona norte do Rio e dando direito a banners nas redes sociais e no site oficial do Bangu, além de oferece backdrop na sala de entrevista coletiva, 20 ingressos cortesia por partida e envelopamento do ônibus do time, desde que respeitadas as cores do clube, tudo na imagem do uruguaio.

Chegando final de dezembro, Loco foi apresentado e outra ideia da diretoria seria a venda de camisas do clube, juntando a idade do clube e a camisa do uruguaio, se tornando 113. Na sua apresentação, o Bangu vendeu 350 camisas em um mês, 50% de todo o estoque vendido em 2016. Além da venda de camisas, foi lançado o programa de sócio-torcedor “Partiu Bangu”, custando R$ 29,90 com objetivo de ter mil torcedores em dois meses e a própria plataforma de venda na internet, criando novas receitas para não depender das cotas de TV, que então era a única fonte de renda do clube. A sua apresentação foi transmitida ao vivo da página do Esporte Interativo no Facebook, chegando a 205 mil visualizações, mostrando o interesse do fã de esporte ao uruguaio. Chegando 2017, foi criado a “Operação Loco Abreu”, onde o time conseguiu atrair a atenção da mídia, melhorou a média de público e fez o clube vender centenas de camisas como não vendia há tempos, mas nem tudo são flores e o Campeonato Carioca começou e daí veio a parte técnica.

Na estreia do Bangu contra a Portuguesa em Moça Bonita, festa da torcida, bom público, mas veio o empate, com direito a gol do Loco na estreia com a camisa do time, depois vieram as derrotas para Vasco (em casa) e Fluminense (fora) e o empate com o Volta Redonda. Sem vitória nas quatro primeiras rodadas, o Bangu demitiu o técnico Eduardo Allax e em seu lugar trouxe Arturzinho, jogador do clube nos anos 80 e ídolo, que deu a primeira vitória do time na Taça Guanabara contra a equipe do Resende, porém ficou pouco tempo no comando, pedindo demissão após a derrota para o Nova Iguaçu no Quadrangular Extra por questões internas, onde comentaram nos bastidores que o técnico teria discutido com uruguaio.

Veio a Taça Rio e com Roberto Fernandes no comando, o Bangu novamente passou vexame, com três derrotas, um empate e uma vitória, esquentando o clima em Moça Bonita, com os torcedores protestando durante os jogos e muitas vezes gritaram o nome do ex-comandante, criticando o atacante uruguaio. Restando duas rodadas para o fim da Taça Rio, o Bangu estava brigando para não ir a seletiva, o público diminuiu e Loco Abreu acabou rescindindo seu contrato com a equipe, não atuando na vitória contra o Macaé e a derrota para o Madureira, voltando para o Uruguai, jogando de graça em um clube da segunda divisão.

Loco Abreu disputou dez partidas pelo clube, marcando apenas três gols, além desperdiçar duas das três cobranças de pênaltis que teve a oportunidade ao longo da competição, o  projeto de marketing não teve sucessos e segundo os bastidores deverá ser cancelado, além disso, o clube perdeu o patrocinador máster após a saída do uruguaio e não ganhou novos torcedores e nem trouxe os moradores do bairro de volta ao estádio. Além disso, perderá dois milhões dos quatro da TV para o Estadual ano que vem devido a décima colocação do time esse ano.

Todo projeto em cima do atacante uruguaio foi por água abaixo. O time não fez um elenco a altura para conseguir conquistar novos torcedores, contratou mais dois estrangeiros que não atuaram no time, ficou a espera do Almir, que continua em recuperação e com chances de encerrar a carreira e dependeu de um elenco fraco para fazer vergonha no estadual, justamente no ano que a equipe volta a disputar uma competição nacional depois de anos, onde será iniciado no mês que vem contra o Villa Nova-MG.


Agora a diretoria precisa de novos rumos se quiser fazer bonito no campeonato tem planejado, pois tudo que fizeram para trazer o Bangu de volta ao cenário nacional, deu errado, mas espero que isso sirva de exemplo para que não se repita no segundo semestre e que coloque o time na Série C de 2018 com um planejamento mais sério e sem “achismo”.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Papo de Torcedor VASCO – Retrospectiva 2016

Nação Cruzmaltina, essa crônica é a ultima de 2016 sobre o nosso querido Vasco. Foi um ano de altos e baixos e momentos diferentes nos dois semestres desse ano. Com uma arrancada espetacular no fim do campeonato, foi rebaixado para segunda divisão pela terceira vez em menos de dez anos, a equipe manteve boa parte do elenco, jogadores como Nenê e Riascos, que foram exaltados pelas boas atuações, perdendo apenas o volante Serginho, substituído por Marcelo Mattos, além do técnico Jorginho, terminando ano de 2015 em grande estilo, mesmo com a queda.

Com a permanência de boa parte do elenco, o Vasco pouco contratou no início da temporada de 2016. Além de Marcelo Mattos, veio também Yago Pikachu, lateral destaque no Paysandu. No decorrer da temporada, a equipe perdeu o atacante Riascos e o Zagueiro Rafael Vaz, destaques do primeiro turno e do título carioca e com a queda de rendimento no segundo turno do campeonato brasileiro vieram Rafael Marques, Júnior Dutra, Fellype Gabriel e Éderson, sendo o único que mais deu certo, fazendo gols importantes e terminando a temporada como titular. Agora vamos falar um pouco do Vasco nos três campeonatos disputados na temporada de 2016.


Campeonato Carioca
Atual campeão, o Vasco estreou bem no campeonato e logo nas primeiras rodadas, jogou contra o Flamengo  em São Januário, já que o Maracanã estava entregue ao comitê olímpico. Rafael Vaz fez o gol da vitória, garantindo a invencibilidade em cima do maior rival. A invencibilidade manteve contra Botafogo e Fluminense, mas empatando com a equipe de General Severiano. O Vasco liderou as duas primeiras fases do campeonato, conquistando a Taça Guanabara. Com a liderança, enfrentaria novamente o Flamengo na semifinal e dessa fez foi em jogo único em Manaus e com a boa atuação de Andrezinho e Riascos, os vascaínos passaram por cima dos flamenguistas  enfrentando os botafoguenses pela na segunda final consecutiva entre as equipes.

As duas partidas da final foram complicadas e com gol de Jorge Henrique, o cruzmaltino venceu a primeira partida. Na segunda partida, o Botafogo até tentou e abriu o placar, mas o Vasco conseguiu um empate com gol salvador de Rafael Vaz, que havia entrado na segunda etapa, garantindo o bicampeonato carioca e de forma invicta.


Copa do Brasil
Disputando a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, o Vasco tinha a Copa do Brasil como o único caminho para a disputa da Libertadores da América de 2017. A primeira fase o foi contra o Remo, vencendo em Belém com o placar de 1x0 e em São Januário por 2x1. Na segunda fase foi contra o CRB, vencendo o primeiro jogo por 1x0 e empatando o segundo no placar de 1x1. Na terceira fase, o adversário seria o Santa Cruz, atual campeão da Copa Nordeste. Empatou em casa no placar de 1x1 e venceu fora por 3x2 em um jogo dramático para a torcida vascaína. Na quarta fase, já com as equipes vindo da Libertadores, o Vasco enfrentou a equipe do Santos. Perdeu a primeira fora pelo placar de 3x1 e empatou em casa por 2x2, acabando com o sonho de conquistar o bicampeonato e a classificação para o torneio continental de 2017.


Campeonato Brasileiro Série B
Com o excelente desempenho no Campeonato Carioca, o Vasco da Gama iniciou sua participação na Série B com grandes expectativas e até a garantia de subida de forma bem antecipada como em 2009. Estreou com goleada em cima do Sampaio Corrêa, além das vitórias consecutivas contra o Tupi, Vila Nova e Bahia, até empatar com Oeste. Depois vieram mais duas vitórias sobre o Goiás e Joinville até a primeira derrota do ano para o Atlético-GO na oitava rodada do campeonato, acabando com a maior invencibilidade em jogos oficiais de sua história: 34 partidas sem perder. Mesmo com a derrota, a equipe de São Januário conseguiu mais nove vitórias garantindo a liderança no primeiro turno da competição.

No segundo turno, o caminho do Vasco na Série B começou a desandar.Nas quatro primeiras rodadas foram dois empates (Sampaio Corrêa e Tupi) e duas derrotas (Vila Nova em casa e Bahia), voltando a vencer apenas na quinta rodada contra o Oeste. Após a vitória, vieram foram quatro jogos sem perder, que veio contra a equipe do Náutico. Restando dez rodadas, o Vasco foi caindo na tabela. Veio a derrota para a equipe do Paysandu, venceu a equipe do Londrina, voltou a perder para o CRB e vencer a equipe do Paraná, depois vieram três jogos sem vencer, restando apenas três rodadas para o fim do campeonato. O Vasco venceu a equipe do Bragantino e precisaria de mais uma vitória para garantir o acesso de forma antecipada, mas perdeu para a equipe do Criciúma, sendo ameaçado de ficar mais um ano na segunda divisão. A última partida foi contra o Ceará e a torcida esgotou todos os ingressos. No total, tinham 56 mil pessoas no Maracanã. Para sorte do Vasco, o Oeste venceu o Náutico, mesmo com o resultado, o time virou com dois gols de Thalles garantindo o retorno a equipe de São Januário a elite do Campeonato Brasileiro.

O que esperar de 2017?

Após a garantia do retorno a Série A do Campeonato Brasileiro, o Vasco começou planejar a temporada de 2017. Jorginho não seguiu no comando e trouxe de volta Cristóvão Borges, vice-campeão brasileiro em 2011 e eliminado nas quartas de final da Libertadores em 2012. Eu sinceramente achei um bom nome e tem uma identidade com o Vasco. Em questão de reforços, até a publicação desse artigo, foram muitas especulações e apenas um reforço, o meia Escudero.

Não dar para fazer previsões, já que é ano de eleições e tudo pode acontecer, mas espero que o Vasco invista de verdade no elenco e que traga de volta a alegria aos vascaínos, pois não podemos ficar brigando para não descer, pois não é a grandeza do Vasco e espero que volte a ser o Gigante da Colina e que volte a brigar por títulos nacionais e não apenas estaduais, como falou em outras vezes o nosso presidente Eurico Miranda, já que será ano de eleições.


Que 2017 seja um ano de mudanças e vitórias para o Vasco. Saudações Vascaínas /+/.

*José Nunes (@JosecleiNunes) é fundador e editor do blog Futebol Retrô. Escritor, graduando em história. Ama futebol, política e um bom papo de botequim.
Siga Razão e Cultura nas Redes sociais (Facebook) (Twitter)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Futebol Colombiano – Nove vezes Independiente Santa Fé

A equipe conquistou o nono título nacional (Foto: Samuel Norato)
Fundado na cidade de Bogotá em 1941, o Independiente Santa Fé é um dos principais times do futebol colombiano, porém a equipe ficou sem conquistar um título nacional por 37 anos, voltando a conquistar apenas em 2012. A partir desse ano, Os Cardiais venceram mais ou menos um título por ano e nesse ultimo domingo (18) conquistaram o nono titulo nacional garantindo a classificação direta para a fase de grupos na libertadores. O título veio após a vitória de 1 a 0 contra o Deportivo Tolima com o gol de cabeça de Urrego aos onze minutos do primeiro tempo. Com o empate no jogo de ida e a vitória na volta, o Santa Fé pode comemorar pela nona vez na sua história.

Para conquista do título desse ano, o time se reforçou com doze reforços: Leonardo Pico (Patriotas), Kevin Salazar (Fortaleza), Carlos Arboleda (Rionegro Águilas), Javier López (Rionegro), Horacio Salaberry (Aucas, Equador), Juan Falcón (Al Fateh, Arabia Saudí), Jhon Fredy Salazar (Once Caldas), José David Moya (Cortuluá), Humberto Osorio Botello (Defensa y Justicia, Argentina), Joao Rodríguez (Sint-Truiden, Bélgica), Ánderson Plata (Sem Clube) e Jonathan Agudelo (Millonarios), além do elenco do primeiro semestre, já que disputaram outros torneios como a Copa Suruga Bank, Recopa Sulamericana, Copa Sulamericana, Copa Águila e Liga Águila, conquistando o torneio japonês diante do Kashima Antlers, atual vice-campeão mundial.

A caminho para o título começou com a classificação na quarta posição para as quartas de final, o adversário foi o atual campeão colombiano, Independiente de Medellín, conquistando as duas vitórias de 2 a 1 e 2 a 0, classificando a equipe para semifinal. O adversário foi o atual campeão da Libertadores e maior campeão do futebol colombiano Atlético Nacional. A primeira partida terminou empatada em Bogotá. No jogo de volta, devido ao calendário, os verdolagas jogaram com a equipe Sub20, já que estariam disputando o campeonato mundial no Japão. Como o Santa Fé não tem culpa por causa disso, goleou a equipe de Medellín por 4 a 0, classificando para semifinal. Conforme falei anteriormente nesse artigo, o adversário foi o Tolima, empatando fora em 1 a 1 e vencendo em casa no placar de 1 a 0, garantindo o nono título para os leões.

O título não foi fácil e um dos heróis dessa conquista foi o técnico argentino Gustavo Costas, que foi campeão colombiano em 2014 pela equipe. Ele substituiu Alexis García, impôs uma nova forma de jogar, conquistou a Copa Suruga Bank e quase conquistou a Recopa Sulamericana para o River Plate. Eliminado para o Cerro Porteño nas oitavas, apoós ter vencido o jogo de ida por 2 a 0 e ser goleado na volta por 4 a 1, a Liga Águila seria o objetivo final para a equipe e técnico em 2016. Depois da derrota para a equipe do Patriotas por 2 a 0, ele colocou uma série de nove jogos sem perder garantindo o a classificação para as quartas de finais do campeonato colombiano, fechando com 15 jogos sem perder para conquista do campeonato.


Apesar de muitos falarem do Atlético Nacional e a questão da sua eliminação do torneio por causa do calendário, não podemos desmerecer o Independiente Santa Fé. O time vem conquistando títulos importantes têm o bom atacante Osório, que fez sete gols no campeonato e o conjunto em si que soube levantar a cabeça e dar a volta por cima graças ao técnico argentino. Acho que podemos sim esperar um Santa Fé mais competitivo para 2017 já que tem a Super Copa da Colômbia e Libertadores, porém o titulo colombiano é de grande importância para quem ficou quase 40 sem conquistar e vencer o terceiro em menos de cinco anos. Parabéns Independiente de Santa Fé, nove vezes campeão colombiano.

Siga Jovens Cronistas nas Redes sociais (Facebook) (Twitter)

*José Nunes (@JosecleiNunes) é fundador e editor do blog Futebol Retrô. Escritor, graduando em história. Ama futebol, política e um bom papo de botequim.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Editorial - Refletindo sobre o Mundial de Clubes


Criado em 1960 o torneio teve diversos nomes e formatos entre os participantes até o formato atual realizado pela primeira vez em 2005. Após onze anos do torneio sobre o comando da FIFA, o formato volta a ser questionado e comentado entre diversos diretores da entidade e jornalistas esportivos. Muitos questionam sobre o desinteresse dos clubes europeus e do enfraquecimento das equipes sul-americanas, que venceu apenas com o Corinthians após a mudança ao formato atual. Qual seria o formato ideal para que o torneio seja mais atrativo e mais competitivo entre os participantes?

Nos primeiros anos do torneio e com o nome Copa Intercontinental entre as equipes vencedoras dos torneios da América do Sul e da Europa. De 1960 a 1979, as partidas eram realizadas em dois jogos, uma na Europa e outra na América do Sul. A partir de 1980 o nome do torneio mudou para Copa Toyota em partida única realizada no Japão nos anos de 1980 a 2001 realizadas na cidade de Tóquio e 2002 a 2004 em Yokohama, mas com o mesmo formato entre vencedores dos dois continentes.

No Fim da década de 90, a FIFA resolveu assumir o torneio, realizando o primeiro torneio entre os clubes, adicionando outras confederações e o campeão do país sede. Em 2000 foi realizado esse torneio com oito participantes no Brasil. O formato foi de dois grupos de quatro, o campeão de cada grupo se classificava na final e o segundo para disputa do terceiro colocado. Em 2001 o torneio seria realizado na Espanha, porém, retornou apenas em 2005 com o formato de mata-mata, sem o clube campeão local e dois anos em cada país, mas com o formato garantido as equipes da América do Sul e Europa nas semifinais. Em 2009 o campeão do país sede foi adicionado ao torneio, participando de um playoff para se classificar ao torneio para as quartas de finais, sendo o formato atual do campeonato.

Vários formatos e sedes aconteceram no mundial de clubes. Nos últimos anos vimos a soberania dos clubes europeus e o enfraquecimento das equipes sul-americanas. Com a globalização e o mercado da bola mais favoráveis as equipes da Europa, outras equipes acabam perdendo seu principais jogadores após conquistarem seus títulos continentais, ficando mais fracos na participação do torneio. Mesmo assim há críticas as equipes campeãs da América do Sul, pois estando garantidas na semifinal do torneio, não representa mais classificação para a final como no passado e em três ocasiões foram eliminados para equipes do país sede. Outro desfavorecimento seria contra as equipes da CONCACAF, sempre enfrentando equipes da Europa, e financeiramente vivem momento um pouco melhor que as sul-americanas, mas sem tradição nos torneios, assim como a Ásia por causa do futebol chinês que está investindo pesado para fortalecer a liga local e ser uma das principais forças do continente.

Por essas questões e outras, precisamos repensar sobre o formato do torneio. Teoricamente é ruim para o calendário de ambos, seja o mês escolhido. Nesse ponto é comentado um torneio aos moldes da Copa do Mundo, realizados a cada quatro anos ou até dois anos. Aumentar o número de participantes como os campeões da Liga Europa, Copa Sulamericana e outras ligas secundárias de outros continentes, além de colocar os vices de cada torneio. Muitos formatos são estudados e na minha opinião o melhor formato seria de grupos como em 2000, mas com semifinal e final, mas isso será conversado nos próximos anos e pelo que vejo nos noticiários esportivos, em 2019 será com um formato diferente. Agora resta acompanhar e opinar até la.

Siga Razão e Cultura nas Redes sociais (Facebook) (Twitter)

*José Nunes (@JosecleiNunes) é fundador e editor do blog Futebol Retrô. Escritor, graduando em história. Ama futebol, política e um bom papo de botequim.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Analisando as eleições municipais e projetando 2018


As eleições municipais de 2016 foram algo inédito em nosso país. Além da crise, também vieram as questões sobre a política nacional envolvendo o impedimento da presidente Dilma Roussef e a polarização entre direita e esquerda. Sobre esses pontos, vem os interesses para as eleições de 2018 e essas eleições mostraram um pouco sobre as pretensões de alguns nomes que buscam fortalecer suas candidaturas para presidente, governador, além de senador que será duas vagas nas próximas eleições.

O grande vitorioso foi o PSDB, já o grande perdedor foi o PT. O PMDB continua liderando o número de prefeitos nas cidades, mas na questão populacional, os tucanos assumem ponta. O partido do Lula foi um dos grandes derrotados. Se em 2012 era a terceira força em prefeituras, hoje é apenas a décima. Houve também um avanço entre os conservadores, além de nomes com a imagem de não-políticos e o aumento de brancos e nulos, além das abstenções, mostrando a insatisfação da população com a política atual.

Como grande vencedor nas eleições, conquistando cinco das oito capitais conquistadas no segundo turno, além de São Paulo, o PSDB se torna o grande nome para as eleições de 2018. Resta saber quem será o candidato do partido. Geraldo Alckmin começa na frente com a vitória do João Dória em São Paulo, além de vencer no ABC paulista, considerado o reduto do PT. Derrotado em 2014 no seu próprio estado para Dilma Roussef, Aécio viu a sua terceira derrota, agora na prefeitura, vendo a derrota do deputado (e também ligado ao Atlético/MG) João Leite para o ex-cartola Alexandre Kalil do modesto PHS. José Serra deve sair da disputa, pelo menos dentro do partido, além de não colocar Marta Suplicy (havia no PSDB um racha) no segundo turno na cidade de São Paulo, está envolvido por uma suposta conta que teria na Suíça.

O grande derrotado foi o PT. Perdeu a cidade de São Paulo, não reelegendo Fernando Haddad e a região do ABC paulista, além de outras cidades da Grande SP que compunham o chamado "Cinturão Vermelho", e Goiânia, além disso, caiu de terceiro, onde conquistou 638 cidades para décimo lugar com 254 cidades conquistadas e nas capitais, conquistou apenas Rio Branco (AC). Perdendo forças e com más perspectivas para 2018, o principal partido de esquerda do Brasil poderá apoiar um candidato fora da sigla pela primeira vez em sua história. Esse nome seria Ciro Gomes, do PDT, onde ganhou em Fortaleza, quinta cidade mais importante do país reelegendo Roberto Cláudio, Natal e São Luís, além de Sobral, reduto do ex-ministro.

No campo da esquerda, o PSB administrará 415 cidades em 2012 eram 440, ficando com Recife, Campinas, Guarulhos e Palmas, mas perdendo em Belo Horizonte, Cuiabá e Porto Velho. No PDT houve um leve crescimento de prefeitos (307 para 335). Das cinco capitais que administrava em 2012, manteve três citadas anteriormente. O PC do B, aliado mais fiel do PT, avançou de 51 para 81 cidades, esse crescimento deve-se ao governador Flavio Dino do Maranhão, que vai construindo uma grande base para o partido. Já o PSOL perdeu nas três cidades em que disputava o segundo turno: Belém (PA), Rio de Janeiro e Sorocaba (SP), ficando apenas com duas prefeituras em todo o país. A REDE elegeu sete prefeitos, e ganhou com Clécio Luís, em Macapá (AP), porém, isso não ajuda muito as pretensões de Marina Silva, que segue sem uma posição concreta do partido e teve baixas importantes recentemente.

Na direita, temos a vitória do ACM Neto (DEM) em Salvador, com 74% dos votos, e na surpreendente vitória de João Doria (PSDB) em São Paulo. Temos também uma onda conservadora, com a vitória do Marcelo Crivella (PRB) na cidade do Rio de Janeiro e o crescimento dos evangélicos em outras cidades de menos expressão. Esse onda poderá ter uma frente ampla, colocando o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro como candidato a presidente em 2018.

Numa análise geral de todos os municípios, a eleição termina com o PSDB, PMDB e PSD que mais elegeram prefeitos, todos pertencentes a base do governo de Michel Temer. O PMDB se mantém como um partido forte nos municípios, mas perdeu uma cidade importante como o Rio de Janeiro. O partido também perdeu prefeituras importantes no Nordeste e no eixo Sul/Sudeste, será que virão com candidato próprio ou fará uma aliança com o PSDB?

O PDT é o que tem melhor situação entre os partidos de esquerda, fortalecendo o nome do Ciro Gomes para 2018, resta agora saber qual será a posição de outros partidos de esquerda como PT e PC do B se farão uma frente ampla como tem falado nos bastidores.

Com um desempenho fraco em sua primeira eleição, a REDE de Marina Silva não teve o sucesso que muitos esperavam, mesmo assim, Marina é um nome competitivo para 2018, mas sem um partido organizado e forte, poderá ter dificuldades. Nos extremos vem Jair Bolsonaro, mas resta saber se terá apoio, que deverá ser entre os evangélicos das linhas pentecostais, principalmente com a vitória de Marcelo Crivella no Rio de Janeiro, que supostamente, poderá ter uma aliança entre Bispo Macedo e Silas Malafaia. Apesar da derrota das três cidades em que concorreu em 2º turno, o PSOL ganhou força com Marcelo Freixo, no Rio de Janeiro, mas ele não deverá concorrer a um cargo executivo, então resta saber se manterá sua posição e colocará um candidato ou fará parte de uma Frente Ampla?

Ainda estamos na ressaca pós-eleitoral, mas a corrida para 2018 enfim começou, teremos que saber quem sobreviverá até lá, principalmente com o que pode acontecer na lava-jato e nas futuras delações. Creio que não surgirá muita coisa, mas alguns nomes que seriam fortes poderão ficar no meio do caminho, surgindo novos nomes e até surpresas. Agora é pegar a pipoca, sentar no sofá e esperar os próximos capítulos da nosso “House of Cards Brasil”.


Siga Razão e Cultura nas Redes sociais (Facebook) (Twitter)

*José Nunes (@JosecleiNunes) é fundador e editor do blog Futebol Retrô. Escritor, graduando em história. Ama futebol, política e um bom papo de botequim.

sábado, 29 de outubro de 2016

Dez motivos para você não votar em Marcelo Crivella

Amanhã será o dia decisivo e para o futuro da nossa cidade nos próximo quatro anos e para você que votou em outro candidato no primeiro turno ou que ainda não decidiu em quem votar. Seu voto será muito importante para o ela que esteve nas mãos de Cesar Maia e Eduardo Paes por 16 anos. Agora temos opção e para que a cidade mude Marcelo Crivella não é mudança que tanto queremos.

Crivella não é o candidato que vem com uma nova política para nossa cidade e a nem a solução para as regiões mais abandonadas pelo poder público, além disso, governará junto com partidos como PMDB, com a extrema-direita que é PSC e estará junto fundamentalismo religioso, tendo apóia da Igreja Universal, onde foi bispo, do Edir Macedo, seu tio, e com apoio do Silas Malafaia.

E nesse segundo, apresentamos dez motivos para não votar em Crivella, veja abaixo:

1 - Crivella organizou e escolheu um pensamento que considera a Igreja Católica como maior praga do Terceiro Mundo, chamando de estúpidos aqueles que invocavam deuses de pau, de pedra ou de metal. Escreveu que a Igreja Católica, as outras religiões pregam doutrinas demoníacas. Ele afirma que era jovem, mas tinha 42 anos.

2 – Fala que não mistura política com religião, no senado, seus suplentes foram o bispo Eduardo Lopes e no mandato anterior foi o bispo Eraldo Macedo, irmão do bispo Macedo, seus tios. No ministério da pesca, nomeou o pastor Emanuel Robson de Oliveira Simões superintendente federal da pesca e aqüicultura do Ceará e o bispo Flávio Bezerra secretário de planejamento e ordenamento da pesca. Ao sair do ministério, quem assumiu foi o bispo Eduardo.

3 - Em 1999, ele escreve que a homossexualidade é um mal e que os homossexuais vivem numa condição lamentável. Depois em 2012, segundo o jornal Estado de São Paulo, disse em uma pregação que pode ter origem no sofrimento do bebê ainda no útero da mãe.

4 - Segundo a publicação da revista veja, foi preso por está revoltado, levando caminhões com quatro homens, arrebentando a cerca, tirando as coisas das pessoas na força por causa de um terreno pertencente a Igreja Universal, declarou que nunca tinha ido preso, pois dias depois, a revista divulgou um vídeo afirmando que foi preso.

5 - Diz se Ficha Limpa, mas seus apoios não são, tendo um suposto apoio de Anthony Garotinho, condenado por formação de quadrilha e responde pelo menos a 11 processos na justiça. Ele afirma que o ex-governador não fará parte de sua gestão, mas seu candidato a vice foi indicação dele. E de Rodrigo Bethlem que foi denunciado por improbabilidade administrativa, enriquecimento ilícito e dano aos cofres públicos.

6 - No primeiro turno disse que o PMDB do Rio era a classe política mais corrupta do Brasil, mas no segundo turno se aliou a vereadores mais votados do partido, além disso, tem apoio da família Jerominho, em vídeo gravado por Carminha Jerominho declarando abertamente esse apoio. Depois afirmou que seria importante o apoio deles para ter mais votos.

7 – Devido as manifestações durante a Copa das Confederações, se juntou a outros senadores com o Projeto de Lei 728/2011 contra o “terrorismo” e crimes na copa e eventos esportivos, o que dava base na realidade para reprimir as manifestações da juventude e dos trabalhadores.

8 – Crivella não tem lado. Foi eleito senador pela primeira vez em 2002, teve apoio do Lula para prefeito em 2008 e senador em 2010, além do apoio da Dilma para o governo do Estado em 2014. Com enfraquecimento da presidente, pulou o barco junto com seu partido, se aliando a Governo Temer. Em 2012 apoiou a reeleição do Eduardo Paes, onde ele tanto criticou no primeiro turno. Hoje ele tem apoio de Índio da Costa, ex-secretário de Paes, Cabral e Pezão e Osorio, ex-secretário de transportes da gestão anterior, prometendo cargos caso seja eleito.

9 – Crivella defende em tudo que é de atrasado na sociedade. Em defesa da família por causa da sua crença, é contra o aborto, a política de gêneros e a favor do Escola Sem Partido, se aliando no segundo turno a Família Bolsonaro, utilizando um discurso de extrema-direita na reta final de sua campanha.

10 – Crivella representa o atraso, faz parte de uma ala conservadora que é contra o avanço social e político do país. Defende valores retrógrados sem se importar em questões de saúde e segurança púbica, além disso, fala que vai combater as empresas de ônibus, mas tem Rodrigo Bethlem, que está no lado desses empresários e Osório, que foi um dos idealizadores no corte de diversas linhas de ônibus, além disso, pretende colocar as creches na mão das empresas privadas e já foi defensor do fim da educação superior pública. Dar para acreditar no Crivella?

*Joseclei Nunes (@JosecleiNunes) é fundador e editor do blog Futebol Retrô. Escritor, graduando em história. Ama futebol, política e um bom papo de botequim.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

50 motivos para você votar em Marcelo Freixo


Faltam poucos dias para as eleições e poucos dias para você que votou em outro candidato no primeiro turno ou que ainda não decidiu em quem votar. Seu voto será muito importante para o futuro da sua cidade que esteve nas mãos de Cesar Maia e Eduardo Paes por 16 anos. Agora temos opção e o nome é Marcelo Freixo.

Freixo é o candidato que vem com uma nova política para nossa cidade e a solução para as regiões mais abandonadas pelo poder público, além disso, não governará junto com partidos como PMDB, com a extrema-direita que é PSC, contra o fundamentalismo religioso do Silas Malafaia e Edir Macedo e contra tudo de ruim que acontece nessa cidade.
Abaixo listei os 50 motivos para você votar em Marcelo Freixo como algumas de suas propostas:

1 - Marcelo Freixo tem apoio de simpatizantes de causas feministas, pró-LGBT e descriminalização da maconha. Tem apoio de artistas e também tem apoio de líderes de comunidades, de pessoas removidas, do sindicato de professores, de sindicato de garis, de militantes do movimento dos sem teto.

2 - Seu programa de governo foi elaborado com o auxílio de moradores da cidade do Rio de Janeiro e de acadêmicos.

3 - Acredito que Freixo tem a forma de gerir a cidade, precisando mudar, tornando uma cidade menos excludente, com uma gestão mais participativa e voltada para o cidadão.

4 – Foi eleito como deputado estadual mais votado do Brasil, em 2014 e está em seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa, sendo eleito a primeira vez em 2006 como o mais votado de seu partido e reeleito quatro anos depois, desta vez como segundo mais votado do estado. É o atual presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da ALERJ.

5 - Ganhou notoriedade nacional quando presidiu a CPI das milícias, sendo inclusive, homenageado no filme Tropa de Elite 2. Também presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito do tráfico de armas e seu protagonismo na luta contra o crime organizado lhe rendeu diversas ameaças de morte, obrigando-o a passar 15 dias de exílio na Europa.

6 – Vai criar uma Empresa Pública de Transportes, realizando o planejamento com gestão e fiscalização do sistema de transportes.

7 – Vai reorganizar de forma participativa as linhas de ônibus para que o sistema atenda as reais necessidades da população e extinguir a dupla função de motorista-cobrador de ônibus.

8 – Vai expandir as ciclovias e instalar bicicletários nas estações de trem, metrô e BRT, além de reformar as calçadas e praças para garantir o direito de acessibilidade às pessoas com mobilidade reduzida.

9 – Vai democratizar a gestão das políticas públicas de saúde, incentivando a criação de conselhos gestores em cada unidade e ampliar o acesso aos medicamentos distribuídos pelo SUS.

10 - Vai aumentar a capacidade de atendimento das UPAs municipais, garantindo ortopedistas e pediatras em todas as unidades, começando pelas zonas Norte e Oeste e ampliar a rede de médicos, enfermeiros e agentes comunitários para aumentar a cobertura das políticas de Saúde da Família, começando pelas zonas Norte e Oeste.

11 – Vai ampliar a rede substitutiva de serviços de saúde mental (dispositivos de residenciais terapêuticos, CAPS III, CAPSi, CAPS AD, CAPS AD III, Centros de Convivência/Cultura, Cooperativas Sociais, Consultórios de Rua, Escolas de Redutores de Danos, entre outros), começando pelas zonas Norte e Oeste.

12 – Vai democratizar as escolas ampliando a participação dos alunos, pais e profissionais de educação e garantir uma educação integral com programas de esporte, arte e cultura nas escolas e creches.

13 - Criará um novo plano de carreira para melhorar os salários e as condições de trabalho dos profissionais da educação, garantindo autonomia pedagógica aos professores, valorizando os Projetos Políticos Pedagógicos elaborados por cada unidade escolar.

14 - Ampliará o numero de creches e garantir que tenha professor em todas as turmas e vai garantir o acesso da comunidade escolar a equipamentos e instalações esportivas dos clubes de bairro.

15 - Oferecerá educação especial na perspectiva inclusiva, mantendo escolas e classes especiais para os que necessitem de condições específicas de atendimento que impossibilitem a frequência em turmas regulares e garantir que a comida servida nas escolas e creches seja livre de agrotóxicos e transgênicos.

16 – Vai auditar os contratos de concessão realizados pela prefeitura que não estejam de acordo com a lei, dando mais transparência e fortalecendo a fiscalização sobre as políticas públicas do município.

17 - Criará um gabinete virtual para garantindo total acesso das pessoas às informações da prefeitura e estabelecer o permanente diálogo com a população através da internet e conselhos de moradores em todas as regiões da cidade para debater e decidir sobre as políticas públicas dos seus bairros.

18 - Realizará a cada dois anos a Conferência Carioca para discutir com a população os principais desafios e soluções para a cidade, além de um programa de Orçamento Participativo para que todos possam opinar sobre como a Prefeitura usará seu dinheiro.

19 - Investirá em obras de saneamento ambiental, em especial na zona Oeste, garantindo vagas de trabalho para os moradores locais e transformando, assim, os investimentos em saneamento em uma política de geração de emprego aos trabalhadores da construção civil e obras de melhoria do espaço urbano no entorno dos comércios de bairro (em especial, rampas de acessibilidade, iluminação e banheiros públicos), começando pela zona Norte e Oeste.

20 - Incentivará a formação de cooperativas, fortalecendo as políticas de economia solidária e aprimorar os programas de garantia de renda mínima e utilizará imóveis públicos vazios em programas de moradia popular.

21 - Investirá na formação de professores e em material pedagógico para combater a discriminação e o preconceito nas escolas públicas e criará e conselhos de políticas públicas, em especial, os de defesa dos direitos das mulheres, negros, população LGBT, juventude e pessoas com deficiência.

22 - Garantirá o Estado Laico e a diversidade religiosa, em especial na educação pública e fortalecerá o Conselho Municipal de Cultura dando-lhe estrutura e capacidade de deliberar sobre as políticas públicas de cultura da cidade.

23 - Mudará a política de editais da prefeitura para fomentar a produção cultural permanente ampliará os pontos de cultura em todos as regiões da cidade, começando pelas zonas Norte e Oeste.

24 - Criará o Conselho Popular de Gestão da RioFilme para democratizar a atuação do órgão e estabelecerá política de financiamento e apoio às mídias populares e alternativas, desenvolvendo o Plano Diretor de Radiodifusão Comunitária.

25 - Integrará as políticas de cultura e educação para transformar as escolas em polos de preservação da memória dos bairros e promoção da cultura popular.

26 - Incentivará a criação de cineclubes nas escolas municipais, começando pelas zonas Norte e Oeste.

27 – Vai aprimorar as ações voltadas para beneficiários do Cartão Família Carioca, qualificando investimentos em políticas de erradicação da extrema pobreza.

28 - Integrará os abrigos do município aos serviços de saúde, educação, cultura, trabalho, esporte, lazer, habitação e geração de renda da rede municipal.

29 - Ampliará a participação dos moradores nas decisões que envolvam a segurança dos bairros.

30 - Realizará reformas nas calçadas, ruas, praças e parques para garantir a ampliação da iluminação pública, a retirada das grades e o aprimoramento da acessibilidade.

31 - Incentivará a ocupação dos espaços públicos com cultura, esporte e lazer: ruas ocupadas são mais seguras.

32 - Investirá na produção e sistematização de dados sobre conflitos urbanos.

33 - Criará centros de mediação voltados para a resolução dos conflitos urbanos em todas as regiões administrativas da cidade.

34 - Valorizará a Guarda Municipal, implementando um plano de carreira digno, estruturando uma corregedoria independente, garantindo acompanhamento psicológico e promovendo uma formação democrática fundamentada na garantia de direitos e na defesa das liberdades.

35 - Criará o Conselho Municipal de Esporte, dando-lhe estrutura e capacidade para deliberar sobre as políticas públicas de esporte na cidade.

36 - Ampliará o numero de quadras poliesportivas nas escolas da rede municipal.

37 - Criará um programa de incentivo para revitalizar os clubes de bairro e garantir aos alunos das escolas municipais acesso às instalações esportivas dos clubes.

38 - Estabelecerá um calendário municipal de competições esportivas nas diversas modalidades para fortalecer os esportes amadores e de alto rendimento.

39 - Transformará o Jardim Zoológico do Rio em um centro público de reabilitação, conservação e pesquisa da fauna nativa.

40 - Criará programas de acolhimento de animais resgatados de abandono e maus-tratos e promover campanhas de adoção.

41 - Planejará o fechamento de vias urbanas em diferentes bairros da cidade para promover o lazer nos finais de semana em todas as regiões do município.

42 - Implantará linhas de ônibus específicas para a articulação dos bairros com as áreas públicas de lazer da cidade.

43 - Planejará integração do Maracanã à Quinta da Boa Vista e a instalação do Parque Glaziou.

44 - Resgatar os espaços públicos da Marina da Glória e do Parque do Flamengo, combatendo a privatização da gestão e do uso dos espaços.

45 - Ampliará as áreas de lazer e descanso na cidade, recuperando os espaços públicos perdidos nos últimos anos e aproveitando as garagens, quadras, armazéns e terrenos baldios da prefeitura que estão abandonados para construir novas áreas de lazer.

46 - Realizará audiências públicas para deliberar com a sociedade civil os modelos de permissão que devem ser utilizados para desburocratizar as autorizações de uso do espaço público.

47 – Se comprometeu de conversar com as camadas mais pobres sobre os desejos de cada região da cidade.

48 – Prometeu combater as milícias e o tráfico, retirando a fonte de consumos como a venda de gás e TV a Cabo clandestina.

49 – Legalizará o transporte alternativo como moto-táxis e vans e conversará com os taxistas e Uber, melhorando o serviços de ambos para comodidade da população.

50 - É hoje o candidato mais capaz de derrotar a "República do PMDB" e "a Universal".
Além desses 50 motivos, você poderá acompanhar em seu site oficial todas as suas propostas e toda a verdade sobre os boatos vindo da extrema-direita e do sensacionalismo barato do Silas Malafaia. Então não deixe a nossa cidade na mãos deles e do PMDB, que mesmo não indo para o segundo turno, está apoiando o Crivella para continuar mandando na cidade e com futuros interesses para a permanência do estado nas eleições de 2018.

*Joseclei Nunes (@JosecleiNunes) é fundador e editor do blog Futebol Retrô. Escritor, graduando em história. Ama futebol, política e um bom papo de botequim.
 

Razão & Cultura Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger