quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Vivendo sem fé num país cada vez mais evangélico


Texto: Joseclei Nunes (@JosecleiNunes)

Até pouco tempo atrás em meu facebook, postei uma imagem dizendo que sou feliz sem Deus. Esses tipos comentários, como essa imagem, fez eu perder alguns amigos pessoais. Mas será que num país democrático como o Brasil, não se pode viver sem Deus?

Segundo as pesquisas, o Brasil em 2020, será basicamente a maior religião do país, mas será que isso é bom ou ruim?

O mundo hoje passa por certas tuburlências, onde estão assuntos polêmicos como aborto, homossexualismo, eutanásia e legalização das drogas. Tirando o homossexualismo, os outros temas acabam sendo questão de saúde pública e de violência, mas na visão deles não é de Deus e nada pode ser permitido.

Com isso e com o crescimento de uma bancada, onde foram titulados com o nome evangélicos, eles criam leis em defesa de sua fé e vetam as que são contrarias, mesmo que o Brasil seja laico, muitos lideres acabam pensando antes no eleitorado evangélico, antes de criar ou fazer algo, os que se opõe a eles, acabem sendo hostilizados, enfim demonizados.

Então a cada dia, fica difícil viver sem fé no meio de tanto deles, pois o país em toda sua história, sempre teve certa liberdade religiosa, mas isso vem mudando, pois cidades como São Gonçalo, templos de origens do candomblé e umbanda estão sendo fechados porque o prefeito seria evangélico, bibliotecas são punidas por não terem um exemplar da bíblia e alunos e professores são discrimados em suas escolas por suas crenças.

A ultima agora, foi intitulada como "PEC da teocracia" do deputado e então pastor e tucano João Campos, dando as instituições religiosas o poder de decidir se as leis são constitucionais ou não. Imagina isso sendo aprovado aqui no país?

Um exemplo são os países islâmicos, onde são punidos aqueles que são homossexuais, adúlteros e tudo da base do livro sagrado deles que é o Alcorão. Aqui no Brasil, o movimento pentecostal parece querer fazer a mesma coisa, mais usando a bíblia como sua fonte e encontrando sempre brechas da constituição para vetar leis como o casamento igualitário.

Mas mudando o foco de leis, temos as pessoas comuns, que muitos, acabam se tornando gados desses lideres, onde participam de manifestações que inclui ataques a políticos que defende a causa GLBT e a legalização da maconha. Essas pessoas comuns em dia descriminam aqueles que acreditam em vários deuses ou até mesmo em nenhum e isso parece só tem de aumentar.

Um dia desses também estava lendo na fila do banco o livro do José Saramago – Caim, uma senhora olhou o titulo e na hora tirou um daqueles papelzinho para me entregar, mas será que eles respeitam nossa liberdade? Como outra vez um jovem veio me abortar falando que preciso de Jesus, eu falei que não preciso, então ele começou a rogar pragas, falando que um dia eu ia cair de joelhos pedindo perdão a Deus. Imagina isso quando eles forem a maioria segundo o IBGE.

Além disso, perdir amigos pessoais por não querer opinar da mesma crença que eles e como um pesquisador e gostar de ler desses temas (mesmo sabendo pouco), gosto de expor as minhas opiniões e isso acabar gerando um mal estar entre eu e essas tais amizades, como uma vez que veio até meu Orkut querendo me dar sermão, como não sou de aceitar desaforos, respondi e depois lá se foi mais uma grande amizade.

Mas Jesus dizia: amai-vos uns aos outros e não é basicamente isso que encontramos no seu dia a dia. Pois em todo Brasil, se encontra propagandas em sites, camisas, outdoors onde se você não seguir a mesma fé que eles, você esta endemoniado, te mandam para o inferno, fazem de tudo para que você seja o pior, só pelo simples fato de não ser evangélico.

A cada dia eu me preocupo, quando sofro uma agressão verbal, quando assisto pela TV alguém sendo discriminado só por ser espírita, ateu, da religião-afro e entre outras. O movimento evangélico deixou de ser a tal religião do amor e passou a ser a religião do ódio, da ganância, do poder, da ignorância, onde a todo custo vão querer te converter para num futuro fazer do Brasil uma teocracia e depois fazer o país de volta a idade média implantar de vez, uma inquisição protestante.

Mas será que é disso que precisamos? Hoje podemos mostrar que pode ser digno sem fé, sem Deus e as pessoas que supostamente eram para acreditar em Deus, de base não é assim.

Muitos hoje tentam “sair do armário” falando que é ateu, que é umbandista, mas ainda sofre repressão. As pessoas ainda olham diferente em ambientes de trabalho, de escola. As Igrejas a cada dia impõem suas doutrinas, suas regras. Usam a bíblia, às vezes de forma incorreta para pregar o tal evangelho de Jesus. Muitos também acabam se afastando da religião e acabam sendo pré-julgados como possuído pelo demônio, como ímpio, afastado, mesmo que saia de forma sensata e sábia.

Esse pode ser o nosso futuro, a cada pesquisa, cresce o numero de evangélicos pentecostais e as polemicas tendem a crescer também, agora só basta saber como vamos viver sem fé num país cada vez mais evangélico. Pense nisso...

10 comentários to “Vivendo sem fé num país cada vez mais evangélico”

  • 1 de dezembro de 2011 06:41
    Éverton Shy says:

    Não entendi esse paragrafo
    "Segundo as pesquisas, o Brasil em 2020, será basicamente a maior religião do país, mas será que isso é bom ou ruim?"
    o que será a maior religião do País?
    Abraços
    @evertonshy

    delete
  • 1 de dezembro de 2011 06:47
    Éverton Shy says:

    agora li todo o artigo, e entendi que vc se refere aos protestantes pentecostais
    Abraços
    @evertonshy

    delete
  • 1 de dezembro de 2011 07:13

    Realmente, está difícil para alguém como eu, agnóstica, viver num país de evangélicos. E eles querem que de qualquer maneira você vire um também. Ok, mas e cadê a liberdade religiosa???... Cada um vive sua fé - ou a falta dela - como quiser, oras. Tem uma lei (é só procurar, mas que tem tem!) que dita isso: liberdade religiosa é essencial.
    Não julgo ninguém aqui, mas olha, esta cada vez mais difícil a convivência...
    Paolla

    http://licordeamora.blogspot.com

    delete
  • 1 de dezembro de 2011 08:22
    Fernanda L. says:

    é amigo, a coisa tá feia pra gente.

    delete
  • 1 de dezembro de 2011 09:39
    samyr says:

    Falta de respeito total...

    Sábado de manhã; te chamam no portão....
    Eu trabalho bastante preciso dormir mais quando eu posso!!!

    Segunda de manã; cantam no trem.....
    Hoje já temos leis que vetam qualquer manifestação religiosa em ambientes coletivos publicos; ainda assim estou concentrado na minha no meu dia não perturbe cantando alto de mais, se for assim não podemos reclamar daqueles que não usam fones de ouvido....

    Coisas que eu sempre ouço; é sobre doação para a instituição, nunca para os que frenquentam ou precisam de ajuda...
    Se voce não frequenta e é pobre, eles fazem por onde te converter, e usam estes para crescer o numero de frequentadores, e quando voce não frequenta mas tem dinheiro eles te convertem para usar o dinheiro, somente....



    hoje eu vejo e penso como o descrito no texto num trecho curto e verdadeiro:
    O movimento evangélico deixou de ser a tal religião do amor e passou a ser a religião do ódio, da ganância, do poder, da ignorância...

    delete
  • 1 de dezembro de 2011 11:01
    jofema says:

    Como evangélico, concordo com o posicionamento do autor. Não temos o direito de impor o nosso pensamento a ninguém, ou ainda de incomodar, ou de ameaçar, e por aí vai.
    Apenas, lembro que não se deve generalizar esse comportamento inadequado, como se ele fosse praticado por todas as igrejas evangélicas. Há, sim, um certo fanatismo da parte de alguns que acreditam estar cumprindo com a sua obrigação de propagar a Palavra - mesmo que seja sem o devido preparo para tal.
    Quando Jesus nos colocou a necessidade de amarmos ao nosso próximo, isso inclui também o respeito,a tolerância , o conviver pacífico com todos os tipos de correntes de pensamento.
    È assim que devemos agir.
    Fernando Marin

    delete
  • 1 de dezembro de 2011 11:28
    Danny says:

    ‎"Segundo as pesquisas, o Brasil em 2020, será basicamente a maior religião do país, mas será que isso é bom ou ruim?"

    nossa, nem conhecia essa religião "Brasil" e em 2020 ela já será a maior religião daqui!!!!!

    brincadeiras a parte, achei um grande exagero e generalização. o fato de possuir uma crença não torna a pessoa preconceituosa com quem não tem. existem muitas pessoas que convivem normalmente com ateus, acredite (praticamente todo meu convívio profissional e familiar é constituído de teístas, e possuo muitos amigos que creem em deus, também).

    essa pec teocrática dificilmente será aprovada. leia "dificilmente" como "nem fodendo" mesmo. é inconstitucional e não passa de uma loucura de alguns pastores com feelings de "pinky e cérebro".

    e quanto a opinar e querer promover o "você precisa de deus na sua vida", não é uma questão de "perseguição", é uma questão de má-educação no brasil. aqui a galera tem mania de querer promover o que acredita como o melhor (ateus inclusos aqui, conheço uns piores que teístas). se a pessoa é de seu convívio, com o tempo o bom senso e o respeito passa a imperar e a pessoa deixa de ser tão invasiva. mas se é um estranho qualquer que entrega papéizinhos ou em redes sociais, vão "pregar mesmo". assim como muitos ateus fazem ao querer expôr sua lógica maravilhosa pra não acreditar em deus e praticamente exigem que o resto do mundo faça o mesmo.

    no facebook, é super legal compartilhar "sou feliz sem deus" "olha esse absurdo da bíblia", "sou ateu e muito religioso é pior". daí o pessoal posta mensagens motivacionais e bíblicas e galera quer reclamar. mas ora, se age do mesmo jeito né? a tolerância precisa ser recíproca.

    ah, e não me encaixo na dura (oh) vida dos ateus. nunca tive problemas por ser atéia e não considero uma velha maluca querendo fiéis na rua como um.. problema na minha vida.

    delete
  • 2 de dezembro de 2011 12:59

    Gostei dos comentários de Joferna e Danny.

    Claro que existem "igrejas" voltando à era medieval. Mas também existem pessoas lutando contra isso.

    Gostei do texto também, que não generaliza, por mais que deixe uma certa margem para isso.

    Até mais. o/

    delete
  • 27 de novembro de 2012 22:52

    Olha amigo, não se sinta incomodado com isto, você precisa se sentir livre para expressar sua maneira de ser. Mas as vezes interpreto que o ateu, homossexual, negro, mulher, pessoas com necessidades especiais e etc, sofrem com seu próprio preconceito, pois no fundo todos somos isto ai e muito mais, quem não sofre preconceito ou já sofreu, quem não tem nenhuma deficiência, quem não é ateu para determinada crença... Estou escrevendo no meu bog sobre fé talvez vc e os leitores possam acrescentar suas experiencias lá.http://alcomvisual.blogspot.com.br/2012/11/a-fe-que-cura.html

    delete
  • 1 de dezembro de 2012 22:14

    Obrigado por ter visitado meu blog, respeito sua maneira de ser. Creio que Jesus Cristo também não estaria feliz com nossa sociedade hipócrita.

    delete

Postar um comentário

 

Razão & Cultura Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger