quinta-feira, 14 de junho de 2012

Os desabafos de quem fala o que pensa


Joseclei Nunes: (@JosecleiNunes)


“Meu oficio é falar o penso.” Voltaire

Não é segredo nenhum que tenho Voltaire como exemplo de pensamento, além de Rousseau, Spinosa, Christopher Hitchens e Salvador Allende.

Assim como eles, eu também venho recebendo criticas, perdendo amigos, além de muitas fofocas, negativo na maioria, em meu nome.

Apesar dos meus 27 anos vividos num país onde tudo acaba em pizza, fica difícil de falar o que pensa, quando em sua maioria pensa em si, baladas, sexo, consumismo e outras coisas que o sistema nos propõe, e ser diferente acaba sendo negativo, ainda mais numa roda de colegas, como vem acontecendo na minha família, no serviço, no curso e outros lugares que frequento.

Desde a criação das redes sociais, isso passou pra mim, mas uma ferramenta de falar o que penso. Criei uma organização deísta, ganhei amigos, seguidores, tive apoio de ativistas de esquerda, ateístas, defensores do aborto e da eutanásia e principalmente de defensores pela defesa do estado laico, que é a bandeira que defendo, mas esses pensamentos vem gerando polemicas e de um tempo pra ca, venho sendo vigiado diariamente para ver o que geralmente posto ou não posto.

Nunca escondi o que penso, pois sempre falei o que acho, mesmo não querendo ofender ninguém, acabo ofendendo, mas não faço isso por mal, é apenas a ideologia que sigo e defendo e as vezes, acabo não concordando com certas coisas que presencio ao meu redor.

Nunca escondi pra ninguém que tenho pensamentos socialistas, anticristã, deísta, porem polemica. Sempre critiquei a postura da mídia, de empresários, advogados, pois pra mim eles não passam de pessoas que só pensam em lucrar sem olhar a aqueles que geram suas riquezas. Outro lado defendo médicos, professores e bombeiros, pois eles sim, trabalham para o nosso bem e não são bem remunerados. Lembro uma vez, um comentário de umas pessoas do meu serviço por criticar a greve dos bombeiros, os chamando de vagabundos. Mas séra que esses vagabundos que salvam nossas vidas, arriscando a deles merecem ganhar menos de mil reais, enquanto um empresário fica sentado em um escritório com ar-condicionado ganhando milhões?

Talvez esses sejam um dos motivos por ser diferente, critico e polemico. Lembro que em uma conversa com duas pessoas, eles estavam comentando suas aventuras em questão de baladas e mulheres, enquanto eu, lembrava da minha adolescência em época de Faetec, participava de protestos em favor do passe livre para estudantes, jogava RPG e já começa a nascer a minha luta pelo estado laico. Outro fato é hoje em questão cultural e musical. Olhamos a juventude a curtir tudo que a mídia lança e todos acham isso bonito, enquanto eu escuto artistas, que em sua maioria estão mortos. Vai achar alguém da minha idade ou mais novo que escute Nara Leão, Clara Nunes, Wilson Simonal, Velha Gaurda da Portela e Mangueira e entre outros. Vai ler Voltaire, Saramago, Rousseau e entre outros.

Entre essas e outras, sou tratado e visto de forma diferente por todos ao redor. Escuto piadas, ganho apelidos e entre outras coisas. Não tenho culpa de não gostar de baladas, gastar granas em lanchonetes que escravizam seus funcionários, comemorar essas datas comerciais como dia das mães, natal, pascoa e etc...Não sou obrigado a aceitar a minha desvalorização, independente do lugar que eu esteja.

Para finalizar, não gosto de postar esses tipos de artigo no meu blog, mas é o momento desabafo que nesses dias me faz pensar o que é bom e útil para minha vida e meu futuro. Busquei um sonho que não deu certo, desisti, acreditando em outro sonho, como me prometeram e o que vi, foi nada mais que um puxão de tapete. Mas isso me fez repensar, poder voltar no meu velho sonho, o que sempre busquei e sonhei desde criança e vejo que dar. Mas agora, com minha experiência de vida, aprendi ver o próximo como igual, vou lutar pela defesa do desprotegidos, pois a massa que move um país, uma nação e ela nunca pode aceitar as regras e se omitir, pois é preciso lutar contra a mídia, a falsa cultura, o consumismo e lutar em defesa de uma educação e saúde publica de qualidade. Um salario digno para médicos, professores, policiais e bombeiros e um pais de liberdade de opinião e credo, sempre respeitando o estado laico.

É isso que penso, é isso que defendo, é isso que falo...Não vim para ser mais um, ser manipulado pelo sistema e com a liberdade que o país me da, tenho o direito da falar o que penso, estando em meu blog, minha rede social, ate onde puder. Nunca ofendi ninguém, pois cabe a cada um se sentir ofendido ou não. Nunca citei nomes, mas é isso...Não odeio os cristãos, mas não concordo da politica do cristianismo brasileiro e vou sempre contestar, vou falar sempre onde tem algo que não concorde, como falei do meu trabalho, dos transportes públicos, da saúde publica, UPP, UPA e ate na instituições do carnaval que organizam o desfile.

Graças a essas criticas, sou fundador da União Brasileira dos Deistas, criei um blog com mais de 30 mil visitas, escrevo para o blog visão de esquerda, jornal delfos e da torcida organizada da Portela, Portelamor e isso prova que tenho conquistado meus objetivos. O problema são os fofoqueiros de plantão que ver o que posto nas redes sociais e tentam denegrir a minha imagem perante as pessoas. Mas só quem me conhece sabe o que penso e como sou o dia a dia, apesar de não concordar ou compactuar com tudo que me impõe...Cabe a você me julgar se vale a pena me ter como companhia ou não.

“Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.” Voltaire

"Não basta que todos sejam iguais perante a lei. É preciso que a lei seja igual perante todos." Salvador Allende 

1 comentários:

  • 16 de junho de 2012 09:17

    Joseclei

    Ser diferente não é uma característica ruim e discordar em idéias também faz parte do aprendizado humano.
    Os preconceitos de hoje não são diferentes dos preconceitos de ontem, a sociedade é conservadora e consumista, a mídia televisiva, o rádio e a mída impressa forçam as pessoas gostarem disto ou daquilo, do contrário estão fora do contexto. Recentemente conversando com minha filha sobre o passado, lembrei a ela que antigamente os sambas tocavam nas rádios. Mostrei até um vídeo do fantástico sobre um samba do Mussum. E hoje não mais, mas mesmo naquele tempo, ser sambista era ser perseguido, a classe média só via o samba como algo exótico, e o sambista ou o amante do samba era muito perseguido, filosófica e profissionalmente. Tive apelidos de periférico, punk da periferia, e outros. Mas ser diferente não me fez pior ou melhor que ninguém, não interferiu na minha carreira profissional, ao contrário, a minha carreira é que interferiu na minha atividade de sambista e até hoje não sei o que foi pior. Infelizmente, a patrulha ideológica que existia no tempo da ditadura, que você não viveu, mas que deve ter tomado conhecimento através da leitura, hoje continua, quando você defende qualquer coisa que não seja o que a classe média defende, a subida na vida a qualquer preço,a De uma forma leve, mas decepando as oportunidades das pessoas que defendem este ou aquele tema fora do status quo, desfocando a concentração na habilidade e conhecimento técnico, trabalho em grupo, o preconceito faz parte das sociedades conservadoras e não importa se é no ocidente ou no oriente, o conservadorismos é predominante, só existem graus diferentes , mas é ele que domina e sempre vai dominar. Então, dependendo do foco e das intenções da vida, muitas das nossas declarações são tomadas como negativas e já existem manuais de como se comportar nas redes sociais, evitando isto ou aquilo. Infelizmente, isto ocorre e acho lamentável, mas temos que conviver. Muitas pessoas acham um absurdo eu ter um distintivo do Santos no meu facebook, já que sou um diretor de uma empresa, mas sempre pensei que o facebook é uma rede para relaxar, onde posso discutir os resultados das escolas de samba, xingar o clube adversário no próximo jogo e colocar banalidades.Para os assuntos da minha vida profissional, tenho outra rede, que participo ativamente. Hoje percebo que não é assim e talvez até tenha que trocar de nome e começar outro facebook, só com amigos e conhecidos que não possam influenciar a minha carreira. A sua frase de Voltaire está pra lá de correta. Não compartiho as suas idéias religiosas ou filosóficas, nos ligamos porque temos algumas coisas em comum, o samba e a Portela e para mim basta, são os assuntos que normalmente vamos compartilhar e algumas vezes discutir um assunto político ou religioso, mas não será motivo para não conversarmos mais. Quanto às pessoas se afastarem de você, isto não deve preocupá-lo, durante a vida pessoas irão e virão, conforme as suas escolhas e direcionamento de vida e algumas você vai lamentar e outras você vai comemorar. Tenho quase o dobro da sua idade, creia-me, não se preocupe com isto. Se você gosta do que faz, você será bem sucedido, tenha certeza. Os diferentes e perseverantes, vencem. Martin Luther King, Lula, Zeca Pagodinho, Einstein foram diferentes e venceram. Abraços

    delete

Postar um comentário

 

Razão & Cultura Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger