terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Rio de Janeiro: Uma cidade que sofre de auto terrorismo, onde culpado é o povo.


Texto: Joseclei Nunes (@JosecleiNunes)


"Bueiros, prédios... O Rio de Janeiro é a única cidade do mundo que sofre de auto terrorismo."

Apesar de essa citação ser analisada como humor negro, mas acaba sendo uma triste realidade. Em menos de dois anos, o Rio vem passando com algumas tragédias que sempre acabam em feridos e mortos. A cidade que vai sediar uma olimpíada e a copa sofre por tragédias que infelizmente virou o dia a dia de nós cariocas.

Essa semana aconteceu mais uma tragédia, onde três prédios desabaram. E como mais uma vez, tentamos buscar os verdadeiros culpados. Parece que segundo os bombeiros, mais ou menos 25 pessoas desaparecidas, pessoas que estavam em seu trabalho, sem culpa, sendo vitimas e perdendo suas vidas injustamente. Tudo por inadimplência, mas de quem é a culpa?

As vitimas se foram, mas as causas o os culpados, serão achados? E a nossa segurança? Onde fica?

A questão é? Muitos prédios da cidade do rio de janeiro são antigos, onde e sua maioria possui mais de 50 anos, mas muitos deles não foram reformados e com as mudanças do tempo, muitos mudaram internamente, mas não internos. Isso também acontece com bondes, barcas, trens e por ai vai, onde a nossa população, que trabalham para sustentar suas famílias, são obrigadas e viver esse perigo.

Mas o pior das tragédias, são as especulações e a agonia nas buscas de sobreviventes e mortos, e falar em especulações, sempre surgem coisas como o que causou a tragédia e como aconteceu (Falhou um dos motores... Houve um vazamento de gás... A estrutura rompeu...) As informações sobre "o que", "onde" e "quando" aconteceu começam a ficar claras e a busca pelo "como" e do "por que" entra em cena.

Sem falar da mídia que para aumentar a agonia de parentes e de quem acompanha essas tragédias. a prioridade são os dramas humanos imediatos. É hora de entrevistar os sobreviventes e os parentes das vítimas. Entrevistados emocionados e histéricos têm preferência sobre os calmos e comedidos. O desespero é supervalorizado.

Esta fase segue por quatro ou cinco horas, enquanto a audiência quer saber apenas "o que está acontecendo". O evento está ainda na fase do "o quê" do "quando" e do "onde";

Esses são apenas alguns exemplos, pois o rio passa por uma inadimplência daqueles que devem cuidar de nossas seguranças, porem isso, não acontece, e isso acaba gerando certo medo da população, como as primeiras evidências, tudo leva a crer que os desabamentos dos três prédios tiveram origem em obras realizadas no interior de um deles. Seriam reformas realizadas em dois andares, sem qualquer registro oficial.

É a velha prática, muito comum, de proprietários de imóveis não se importarem com o interesse coletivo, não se dando - muitas vezes - ao trabalho de comunicar os próprios vizinhos quanto mais às autoridades que deveriam regulamentar esse tipo de atividade.

Outros motivos são que prédios ao lado não tinham escada de incêndio para a necessidade de emergência, como o que aconteceu no dia 25 de janeiro. Sem falar que os órgãos públicos também não fiscalizaram para tentar pelo menos impedir algo pior como o CREA, que tem um serviço de fiscalização. O que ele estava fazendo que não registrasse algo tão flagrante como o que já ocorria há anos nestes prédios no coração do Rio de Janeiro, onde durante o dia passam milhares de pessoas?

A Prefeitura e o Governo do Estado também têm seus núcleos de fiscalização. O que eles andam fazendo este tempo todo.

Não podemos esquecer-nos de acidentes, como o que aconteceu com o bonde em Santa Tereza e o restaurante perto da Praça Tiradentes, além dos bueiros... Todos eles criaram vitimas fatais, onde foram nada menos que estatísticas do governo, mas muitas dessas vitimas tiveram suas vidas interrompidas, por culpa da negligencia daqueles que querem apenas encher suas contas bancarias, onde depois saem ilesos de punições, como o exemplo do naufrago do Bateau Mouche em 1988, onde 55 pessoas morreram e os responsáveis do acidente foram apenas condenados e estão foragidos.

Agora espero que com essa tragédia, como as outras, sirva de alertas para as instituições e o governo atentem para os prédios e edifícios do centro do rio de janeiro, assim como todo o estado, que em sua maioria não há fiscalização nenhuma quanto a obras e reformas, além do corpo de bombeiros (ou órgão responsável) sobre as saídas de emergência no caso de incêndios ou de uma eventual evacuação. Isso precisa ser visto e revisto para que evite novas tragédias. É preciso também apurar as responsabilidades, pois nessa hora fica aquele jogo de empurra entre os órgãos públicos e privados, onde e como sempre querem sempre sair isentos de culpa.

Que isso sirva também para aqueles que controlam nossos transportes públicos, como os bondes, barcas e trem, onde em sua maioria, estão sucateadas e aqueles que têm controle dos nossos bueiros para que isso não ocorra mais.

Para finalizar esse artigo, quero agradecer mais uma vez a aqueles que foram chamados de vândalos pelo nosso Governador. A todos os bombeiros que sempre estão nos momentos mais difíceis em todo o estado. Vocês sim são aqueles que merecem nosso todo respeito e toda gratidão por tudo que fazem para nossa população, arriscando suas vidas para salvar muitas vidas. Vocês sim são os verdadeiros heróis e vândalos e aqueles que pensam em si e não olha para o povo como instrumento de votos. Parabéns Bombeiros.


1 comentários:

  • 31 de janeiro de 2012 22:40
    Anônimo says:

    Gostei disso de auto terrorismo, lamentavelmente, temos isto, irresponsabilidade civica, falta de conciencia, desinteresse pelo bem estar da comunidade.....acho que todos temos algo de culpa.....

    delete

Postar um comentário

 

Razão & Cultura Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger